terça-feira, 13 de julho de 2010

Expectativa, dúvida, angústia, receio, temor, abondono, incerteza, tensão, indefinição, solidão, preocupação, desolação, travação, isolação, indigestão...

No dia sete de janeiro, dia da primeira prova, tinha me transformado num perfeito idiota, ou, mais exatamente, num vestibulando de segunda fase completo. Olhava pras coisas e só enxergava átomos, fazia cocô e só via reações químicas, lembrava do meu avô caindo de bebado e tratava como um problema de Física, assistia tevê e lia jornal pensando nas mais loucas implicações históricas do que acontecia, tomava medidas, multiplicava, extraía raízes...

Entramos no local do exame com aquela alegria de gado em fábrica de salsicha. As expressões eram ainda piores que a primeira fase. Como havia só tres babacas por vaga agora, cada um imaginava que justo aquele que estava sentado ao seu lado era o cara que ia pegar o seu lugar.
Pairava em torno, junto com uma névoa de desesperança, um ódio de 220 volts. - Fernando Bonassi (O Amor é uma Dor Feliz)

Um comentário:

bersekr disse...

Esse livro parece fodástico